Serviços
Portuguese English Spanish
Cadastre seu e-mail em nossa Newsletter e receba novidades e informações sobre o Instituto Brasil
Informatiza Soluções Empresariais

Informatiza Soluções Empresariais

Quarta, 08 Março 2017 10:36

LIVOX

O LIVOX foi desenvolvido inicialmente por Carlos Pereira com o objetivo de comunicar com a sua filha Clara. O aplicativo foi criado com tanto cuidado e qualidade que se tornou a referência em comunicação não só para pessoas com paralisia cerebral, mas também uma série de doenças e/ou deficiências que prejudicam a capacidade de comunicação e interação com as pessoas. E graças ao LIVOX, que hoje em dia, milhares de pessoas, com síndrome de Down, autismo, AVC e demais limitações da fala, conseguem se comunicar com a sociedade.

O sistema promove a comunicação entre portadores de necessidades especiais viabilizando a interação entre seus familiares, com o suporte de profissionais, como: professores, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, pedagogos, psicólogos, dentre outros, auxiliando na avaliação do potencial de cada pessoa com deficiência, além de promover o aprendizado e proporcionado uma real inclusão social.

O Livox® é um produto da Agora Eu Consigo Tecnologias de Inclusão Social Ltda., empresa do segmento de negócios sociais, voltada para o desenvolvimento de produtos, soluções, serviços e treinamentos que viabilizam a inclusão social e a acessibilidade de pessoas com deficiência no convívio familiar e social.

Atualmente, fomos eleitos pela ONU e pelo BID como a melhor solução de inclusão social do mundo, concorrendo com 178 países e com cerca de 20.000 aplicações, além de outros reconhecimentos nacionais e internacionais.

Com mais de 20.000 usuários, entre crianças e adultos que possuem algum tipo de deficiência, seja motora, cognitiva e visual, o Livox® tem contribuindo para que estas pessoas obtenham uma melhor qualidade de vida, através da comunicação e educação, visto que o Livox® abrange a leitura, escrita e conceitos complexos como matemática, além de possuir outras importantes funcionalidades.

Para maiores informações, por favor, acesse: www.livox.com.br e assista os depoimentos de como o Livox® tem transformado a vida das pessoas.

Terça, 07 Março 2017 10:02

Meio Ambiente e Áreas Degradadas

 

MEIO AMBIENTE

RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS, ESTUDOS AMBIENTAIS, USINAS HIDRELÉTRICAS, BARRAGENS E PCHs

Com uma equipe altamente qualificada, o Instituto Brasil disponibiliza seu capital intelectual para as áreas de mineração, usinas hidrelétricas, barragens, PCHs, sondagens e ensaios, planos de ação emergencial e planos de segurança de barragens e recuperação de áreas degradadas.

 NOSSAS ÁREAS DE ATUAÇÃO 

  • Projetos e ações de monitoramento e controle de estruturas de contenção de sedimentos e rejeitos
  • Estudos de desvios de rios e córregos
  • Mapeamentos e investigações geológico-geotécnicas
  • Estudos e obras ambientais de cobertura verde
  • Planos de fechamento de empreendimentos minerários
  • Projeto e Obras de Barragens de rejeito e pilhas es estéril, alteamento
  • Tratamento de aterros sob solos moles
  • Elaboração de Manuais de Operação, Planos de Segurança de Barragens e Planos de Ação Emergencial
  • Estudos de Dam Break e Manchas de Inundação
  • Estudos de Impacto Ambiental
  • Projetos de despoluição e recuperação, estudos de revitalização ambiental de cursos d’água e matas ciliares
  • Estudos de reaproveitamento de rejeitos e resíduos para minimizar os impactos ambientais
  • Auditorias de segurança de barragens e pilhas e siderúrgicas
  • Análises de risco e escorregamento de encostas
  • Laudos de estabilidade e Pareceres Técnicos
  • Estudos de potencial de dano ambiental, incluindo poluição do solo, ar e de lençóis freáticos
  • Assessoria a obras e serviços de controle e fiscalização
  • Geoprocessamento, topografia, aerofotogrametria, sondagens, análises e laudos químicos
  • Instrumentação por perfurações
  • Ensaios de campo e de laboratório, incluindo CPTU

MINERAÇÃO

Entende-se por lavra o conjunto de operações coordenadas que objetivam o aproveitamento industrial da jazida, desde a extração das substâncias minerais úteis, passando pelo beneficiamento das mesmas, até a destinação final dos resíduos gerados nesse processo. As atividades de lavra são, geralmente, de grande impacto e devem passar por uma série de controles para reduzir os efeitos sobre o meio ambiente e a vida das pessoas. Impactos ao meio ambiente incluem desde a supressão da vegetação à alteração da paisagem pela abertura da mina e pela disposição dos resíduos (principalmente estéreis e rejeitos) associados ao processo produtivo.  Nesse contexto surgem as barragens de rejeito e as pilhas de estéril, que são uma opção para destinação de resíduos proveniente do processo de extração e beneficiamento do minério. O atual desenvolvimento das atividades relacionadas à indústria da mineração aliado às crescentes exigências do setor extrativo mineral, resulta em uma geração cada vez maior de rejeitos, o que ocasiona um aumento significativo das exigências relacionadas a esse tipo de estrutura.

USINAS HIDRELÉTRICAS, BARRAGENS DE ÁGUA E PCH`s

As barragens para acumulação de água são fundamentais para as questões associadas a geração de energia elétrica, bem como para aproveitamento de água para fins industriais.

SONDAGENS E ENSAIOS

Os métodos de prospecção geotécnica são classificados em indiretos, semi-diretos e diretos. Os métodos indiretos são aqueles onde a determinação das camadas dos solos é feita indiretamente pela medida de características físicas do material, sem a necessidade de escavação, sendo também denominados de métodos geofísicos. Esse tipo de metodologia não admite amostragem, sendo os índices obtidos correlacionados através da resistividade elétrica, métodos sísmicos e eletromagnéticos.

Já os métodos semi-diretos fornecem informações sobre as características do terreno, sem possibilitarem a coleta de amostras ou informações sobre a natureza do solo. Nesta classificação  incluem-se os ensaios “in situ”, tais como ensaio de palheta, Vane Test e CPT, CPTU, ensaios pressiométricos e dilatométricos. Os métodos diretos consistem em um conjunto de operações  destinadas a observar diretamente o solo ou ao longo de uma perfuração, podendo ser poços, trincheiras e trados, sondagens a percussão, rotativas e mistas. Há também que se incluir os ensaios de campo e de laboratório, para definição dos parâmetros de caracterização e resistência de cada material.

 

PLANOS DE AÇÃO EMERGENCIAL E PLANOS DE SEGURANÇA DE BARRAGENS

A Política Nacional de Segurança de Barragens define: i) padrões de segurança de barragens visando a mitigação de acidentes e suas consequências; ii) regulamenta as ações de segurança a serem adotadas em todas as fases do empreendimento (do projeto à desativação). O empreendedor é o responsável legal pela segurança da Barragem, cabendo o desenvolvimento de ações preventivas e corretivas. O Plano de Segurança de Barragens (PSB) formaliza todo o processo de gestão de segurança de Barragens, devendo conter, no mínimo, a identificação do empreendedor, dados técnicos dos projetos, implantação e operação das barragens, estrutura organizacional da equipe de segurança, plano de comunicação e diretrizes a serem adotados em casos de alerta e emergência. Também deve conter os manuais de operação, rotinas de inspeção e monitoramento, e o Plano de Ações emergenciais (PAE). O PSB deve ser revisado periodicamente alinhado aos critérios do órgão fiscalizador.

O PAE trata-se, fundamentalmente, do estabelecimento de diretrizes e de informações com o objetivo de adotar procedimentos lógicos, técnicos e administrativos, de forma estruturada, para propiciar uma resposta rápida, eficiente e articulada. Simultaneamente, também se constitui em um instrumento preventivo e de gestão operacional que, ao identificar este risco, pode estabelecer os meios para agir em uma eventual ruptura da barragem, incluindo, dentre outros aspectos, o desencadeamento de ações de evacuação, de prestação de socorro e assistência às populações afetadas, proteção de propriedades e a busca pela minimização dos impactos ambientais.

Na medida em que o estudo de “Dam Break” determina a abrangência da onda de cheia e a respectiva área de inundação, sua severidade e a velocidade com a qual os níveis de água atingem as faixas de terra a jusante da barragem, é possível estabelecer no PAE a caracterização das áreas passíveis de serem atingidas pela onda de cheia proporcionada pela ruptura do maciço, identificando as populações residentes nessas áreas e os usos que estas fazem do solo. Na caracterização das áreas, busca-se ainda identificar pontos sensíveis e recursos externos existentes, incluindo estruturas que, caso sejam atingidas, podem comprometer a qualidade de vida da população.

RECUPERACAO DE AREAS DEGRADADAS

A degradação do meio ambiente é, em muitos casos, de grande impacto, com redução ou eliminação do teor de matéria orgânica do solo, remoção da vegetação, alteração dos recursos hídricos e impactos no meio socioambiental. Na medida em que ocorrem estas alterações, a região fica mais susceptível a processos erosivos, que podem resultar em uma degradação permanente e irreversível.

A recuperação destas áreas degradadas, por qualquer fim, está relacionada ao restabelecimento de um ecossistema através da definição de um programa que considere aspectos ambientais, sociais e econômicos, objetivando a sustentabilidade de todas as atividades antrópicas.

RESPONSABILIDADE TÉCNICA

Rafaela Baldi Fernandes

Engenheira Civil, Mestre em Geotecnia e Especialista em Gestão de Riscos de Escavações Subterrâneas. Coordenadora de Meio Ambiente do Instituto Brasil, Membro da Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e da Associação Brasileira de Geossintéticos. Atua no ramo de Consultoria em Geotecnia e Meio Ambiente, principalmente nas áreas de Mineração, Indústria e PCH`s.

 

 

 

Sexta, 17 Fevereiro 2017 11:27

Meio Ambiente e Economia Verde

As mudanças climáticas, os recursos naturais usados de forma insustentável, a poluição e as ações predatórias do homem contra o meio ambiente aceleram o processo de degradação ambiental do planeta. Desse modo, criou-se o conceito de Economia Verde. Na prática, significa melhoria no padrão econômico devido ao aumento de empregos e de lucros crescentes promovidos por investimentos públicos e privados, por redução das emissões de gases e da poluição, por aumento da eficiência energética sem danos à biodiversidade e pelo reconhecimento dos serviços ambientais.

O INSTITUTO BRASIL, por meio de seus especialistas ambientais de renome internacional e realiza cursos, treinamentos e consultorias, além de promover eventos técnicos científicos abordando os temas ligados à Economia Verde.

Confira, abaixo,alguns dos eventos realizados nessa área:

AMBIENTAL 2013 – Energias Renováveis e Inclusão Energética em Municípios de Pequeno Porte. Local: Salão de Eventos do Plaza São Rafael em Porto Alegre (RS), dias 6 e 7 de novembro de 2013

I Seminário Internacional de Agricultura Familiar, Segurança Alimentar e Economia Verde. Local: Ibiá (MG) dias 15 e 16 de junho de 2012, em parceria com a GVC.

AMBIENTAL 2012 – I Seminário Internacional sobre Economia Verde: Bens e Serviços Ecossistêmicos e Compensação Financeira. Local: Auditório da Federação das Indústrias do Estado do Mato Grosso (FIEMT), dias 23 e 24 de maio de 2012.

II SIMPÓSIO BRASILEIRO DE AGROPECUÁRIA SUSTENTÁVEL: USO DE TECNOLOGIAS LIMPAS E AGROENERGIA Local: Universidade Federal de Viçosa. Período: 22 a 14 de setembro de 2011.

AMBIENTAL 2010: Responsabilidade Socioambiental das Empresas do Agronegócio Brasileiro – dias 14 a 16 de abril de 2010, no auditório do Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viçosa.

IV SNGRU - Seminário Nacional de Gestão de Resíduos - I Seminário Internacional de Sustentabilidade Energética –Viçosa (MG) - 2008.

Sexta, 17 Fevereiro 2017 11:25

Eventos Técnico-Científicos

O INSTITUTO BRASIL possui especialistas qualificados nas áreas de meio ambiente, bioenergia, energias renováveis, economia verde, agricultura familiar, direitos humanos e cidadania, com mais de 20 anos de experiência na realização de eventos, tanto nacionais quanto internacionais. Com toda essa qualificação, a cada ano, o INSTITUTO BRASIL realiza eventos com elevado padrão de qualidade, que são sucesso de público e de geração de conhecimento.

Devido a isso, a entidade vem se destacando cada vez mais na realização de eventos técnico-científicos em diversas áreas do conhecimento humano, por todo o Brasil.

Veja alguns dos eventos já realizados:


2013

AMBIENTAL 2013 – Energias Renováveis e Inclusão Energética em Municípios de Pequeno Porte. Local: Salão de Eventos do Plaza São Rafael, em Porto Alegre (RS), dias 6 e 7 de novembro de 2013.


2012

1◦ Seminário Internacional de Agricultura Familiar, Segurança Alimentar e Economia Verde. Local: Ibiá – MG. Período: 15 e16 de junho de 2012

Ambiental 2012 - I Seminário Internacional Sobre Economia Verde: Bens e Serviços Ambientais e Ecossistêmicos e Compensação Financeira. Local: Cuiabá – MT. Período: 23 e 24 de maio de 2012


2011

II SIMPÓSIO BRASILEIRO DE AGROPECUÁRIA SUSTENTÁVEL: USO DE TECNOLOGIAS LIMPAS E AGROENERGIA Local: Universidade Federal de Viçosa. Período: 22 a 14 de setembro de 2011.


2010

AMBIENTAL 2010 - Sustentabilidade Empresarial e Governamental no Brasil: Modelos e Tendências. Local: Universidade Federal de Viçosa. Período: 15 e 16 de abril de 2010.


2009

SBI Agro - 7º Congresso Brasileiro de Agroinformática –Local: Universidade Federal de Viçosa. Período: 21 a 25 de setembro de 2009.

IV SNGRU - Seminário Nacional de Gestão de Resíduos - I Seminário Internacional de Sustentabilidade Energética – Viçosa (MG).


2008

III Seminário Nacional de Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos: Saneamento Básico e Responsabilidade Socioambiental – Belo Horizonte (MG).

Fórum Nacional sobre Eleições Municipais - (Belo Horizonte, MG) - 16 e 17 de abril de 2008


2007

I Seminário Nacional de Resíduos Sólidos Urbanos - Belo Horizonte (MG)

II Seminário Nacional de Resíduos Sólidos Urbanos: Novas Perspectivas para a Região Nordeste – Natal(RN)

I Seminário de Gestão de Riscos Ambientais: Contaminação e sanidade ambiental em postos de combustíveis - Belo Horizonte (MG)


2006

II Seminário de Negociações Estratégicas – AGRINVEST – Montes Claros (MG).

IV Seminário Internacional do Agronegócio: BIOENERGIA e MERCADO DE CARBONO - Viçosa Universidade   Federal de   Viçosa (MG).

Diagnóstico da Competitividade da Cadeia de Produção de Banana, Limão e Anonáceas no Norte de Minas GeraisMontes Claros (MG).


2005

I Seminário de Negociações Estratégicas – AGRINVEST – Montes Claros (MG)

II Encontro de Prefeitos e I Seminário Estratégico de Desenvolvimento – Viçosa - Universidade Federal de Viçosa (MG).

III Seminário do Agronegócio: Financiamento e Marketing –Viçosa - Universidade Federal de Viçosa (MG)


2004

I Seminário “Perspectivas do Agronegócio Brasileiro” – Patos de Minas (MG)

II Seminário de Mídia e Marketing: O Agronegócio Brasileiro em Mercados Globalizados – Universidade   Federal de   Viçosa – UFV


2003

I Seminário Universidade-Empresa: Negociações Estratégicas – Assessoria Internacional e de Parcerias da Universidade Federal de Viçosa

I Seminário de Mídia e Marketing no Agronegócio Brasileiro – Universidade Federal de Viçosa

II Seminário de Comunicação Corporativa – Sociedade de InvestigaçõesFlorestais (SIF) vinculada ao Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viçosa


2002

I Seminário de Comunicação Corporativa – Sociedade de Investigações Florestais (SIF) vinculada ao Departamento  de Engenharia Florestal da Universidade Federalde Viçosa

Sexta, 17 Fevereiro 2017 11:23

Cidadania e Assistência Social

Foto: www.lavras.mg.gov.br

O INSTITUTO BRASIL desenvolve serviços para os municípios em:

  • Realização de Diagnósticos Socioeconômico e Cultural;

  • Elaboração de Projeto de Trabalho Técnico Social (PTTS);

  • Realização de Monitoramento e Avaliação de Projetos Sociais e Avaliação Pós-Ocupação, observando os regulamentos do Ministério das Cidades e da Caixa Econômica Federal para Projetos de Habitação de Interesse Social.

EXPERIÊNCIA: Trabalhos Técnicos Sociais e assemelhados

O INSTITUTO BRASIL soma experiência em diversos trabalhos na área de habitação social, como: Realização de levantamentos de receitas qualificadas em municípios, visando à implantação do Programa Minha Casa, Minha Vida, observando os regulamentos do Ministério das Cidades e da Caixa Econômica Federal para Projetos de Habitação de Interesse Social; Execução de Trabalho Técnico Social; Serviços de cadastramento e levantamento socioeconômico; Desenvolvimento de ações e atividades de Mobilização e Comunicação, Participação Comunitária e Desenvolvimento Sócio-Organizativo, Empreendedorismo, Educação, Remoção e Reassentamento; Ações de articulação para a implantação do Programa Minha Casa, Minha Vida Rural e reforma de casas em assentamentos da Reforma Agrária; Ações de articulação administrativa para a implantação do Projeto de Trabalho Técnico Social no Programa Minha Casa, Minha Vida em diversos municípios mineiros, além de outras ações em estudo para implementação.

Atividades Realizadas pela Equipe:

  • Elaboração de Projetos Sociais;
  • Acompanhamento social dos beneficiários com unidades habitacionais;
  • Articulação intersetorial e parcerias;
  • Identificação de perfil socioeconômico;
  • Realização de palestras, oficinas e de cursos profissionalizantes para os beneficiários.

Público-Alvo:

Beneficiários de Programas Habitacionais do PAC – Programa de Aceleração ao Crescimento e seus respectivos familiares.

Metodologia

O INSTITUTO BRASIL desenvolve os Projetos Técnicos Sociais em consonância com os princípios da Política Pública de Habitação, com a Portaria 21, de 22 de janeiro de 2014, publicada pelo Ministério das Cidades. Sua metodologia está orientada na teoria do Desenvolvimento Local Sustentável, num processo de desenvolvimento endógeno, ou seja, enfatiza a mobilização de recursos latentes no território local, privilegiando os esforços de dentro para fora, promovendo uma mudança gradativa de mentalidade e a descentralização do poder e da gestão de projetos por meio do estímulo à organização social, com o propósito de racionalizar os recursos públicos e adaptar os projetos às condições e necessidades do local.

 

CIDADANIA

Cidadania pode ser definida como um conjunto de direitos e deveres dos indivíduos perante a sociedade. O termo originado na Grécia se designou, primeiramente, aos direitos políticos dos cidadãos.

Ao longo do tempo, esses direitos, também definidos como direitos humanos, passaram a englobar os valores sociais. Para que haja igualdade na garantia desses direitos, é necessário que haja inclusão social, oferecendo oportunidades aos necessitados. Sendo caracterizado este compromisso ético de formulação de novas estratégias, conceitos e organizações que atendam às necessidades sociais de todos os tipos.

Seguindo esse pensamento, entendemos que, cada vez mais, devem ser procuradas maneiras que promovam ações de inclusão, cidadania e prevalência dos direitos humanos. A estabilidade de uma Nação depende da sua preocupação com as desigualdades sociais.

Com esta visão, apoiamos e executamos projetos como:
 

DE JOVEM PRÁ JOVEM: projeto de protagonismo juvenil, com foco no combate às drogas. Aprovado em primeiro lugar na Zona da Mata Mineira, em edital da Subsecretaria de Combate às Drogas da Secretaria de Estado de Defesa Social e Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais.

O Projeto contou com diversos parceiros institucionais, como Polícia Militar, Prefeitura Municipal de Viçosa, Gruppo di Volontariato Civile – GVC (ONG italiana) e Casa dos Prefeitos (ligada à Universidade Federal de Viçosa). Realizou oito fóruns de debates e construção de competências e envolveu cerca de 2.500 jovens, direta e indiretamente. 


Sexta, 17 Fevereiro 2017 11:21

Assistência Técnica e Extensão Rural

O INSTITUTO BRASIL credenciou-se, com sucesso, como entidade ATER. Isso quer dizer que estamos autorizados a participar de chamadas públicas do Governo para atender demandas de Assistência Técnica e Extensão Rural no País.

Para o Ministério do Desenvolvimento Agrário, o principal objetivo dos serviços de assistência técnica e extensão rural (Ater) é melhorar a renda e a qualidade de vida das famílias rurais, por meio do aperfeiçoamento dos sistemas de produção, de mecanismo de acesso a recursos, serviços e renda, de forma sustentável.

Dessa forma, o INSTITUTO BRASIL vemtrabalhando paragerar um desenvolvimento sustentável e econômico para os agricultores familiares e assentados do nosso país. Com o projeto AGRIFAM, por exemplo, apoiamos a implementação de empreendimentos rurais sustentáveis na região do noroeste de Minas Gerais, beneficiando diversos agricultores familiares em 11 municípios.

Abaixo, veja alguns projetos ligados ao trabalho de ATER e Desenvolvimento Regional Sustentável:

• Vencedor do edital de chamamento público 003/2014, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, para Fortalecimento da Aquicultura e Pesca no país, com objetivo de promover o fortalecimento do associativismo e cooperativismo pesqueiro e aquícola, por meio do apoio à organização socioeconômica e qualificação da gestão de entidades do setor. O projeto do Instituto Brasil obteve a segunda melhor avaliação do país (2014).
 
• Diagnóstico de aptidão agrícola em 31 assentamentos do Triângulo Mineiro e Noroeste de Minas Gerais, em parceria com o Gruppo di Volontariato Civile (GVC), entidade italiana de apoio à agricultura familiar, a Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar do Estado de Minas (FETRAF – MG) e o Instituto dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar (ITTAF) de Minas Gerais (julho e agosto de 2011).

• Implantação, em 31 assentamentos do Triângulo Mineiro e Noroeste de Minas Gerais, do Plano de Desenvolvimento Rural Sustentável em parceria com a Prefeitura Municipal de Ibiá, a IBIABIOCOOP e o Comitê Executivo do PROJETO AGRIFAM (1º de outubro de 2011 a 31 de março de 2012).

• Coordenação de projeto de comunicação rural com agricultores familiares de 111 municípios da Zona da Mata de Minas Gerais em ação contratada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR).

• Convênio de assistência técnica com a Associação Central dos Fruticultores do Norte de Minas (ABANORTE) para a realização do Diagnóstico da Fruticultura no Norte de Minas, com ênfase nas culturas do limão, das anonáceas e da banana.

• Convênio de assistência técnica com a COAGRO – Comércio de Produtos Agroindustriais e Florestais Ltda., para a realização de trabalhos de desenvolvimento da cultura do pinhão manso na agricultura familiar no norte de Minas Gerais.

• Contrato de prestação de serviços com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais para elaboração do Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica do Projeto de Desenvolvimento Integrado das Cadeias de Produção de Óleo e Pecuária na Região Noroeste de Minas Gerais.

• Implantação de 90 Unidades Técnicas de Demonstração e Observação (UTDs) nos polos de produção de oleaginosas no Nordeste e Semiárido do Brasil, com o objetivo de transferir e de difundir tecnologia e conhecimento, em sistemas de produção de mamona e girassol da Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário e Caixa Econômica Federal, atendendo a 4.000 agricultores familiares em sete estados brasileiros (2010 – 2011).

• Contrato de prestação de serviços com a PETROBRAS para realização de 45 dias de campo e 20 capacitações na área de agricultura familiar e geração de biocombustíveis nos estados de Minas Gerais, Bahia, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Pernambuco e Ceará (2011).

Onde Estamos

Instituto Brasil de Estudos, Pesquisas e de Gestão
Estratégica de Competências

Rua Padre Serafim, 243 – Bairro Centro – Viçosa – Minas Gerais
CEP: 36570-000 - Telefax: (31) 2595-0025 / 2595-0050
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.